sábado, 28 de maio de 2011

O Ar

O que observamos?



O ar não se vê mas move-se.




O ar chama-se brisa quando acaricia.



O ar é vento quando incomoda.

O ar tem força para fazer voar as bolas de sabão...





… e para que tu, os teus animais e as tuas plantas possam respirar e viver!


Jardim de Infância Sobral - Cervães

Materiais que flutua e não flutua Ficha 3

Materiais : Água, dois copos, maçã e batata.


1. Enche os copos com água.

2. Descasca a batata e a maçã e corte aos bocados.

3. Coloque em cada um dos copos separadamente.

O que observamos?

A maçã flutua porque é mais leve e a batata não flutua porque é mais pesada.








Jardim de Infância Sobral - Cervães

Ovo de borracha Ficha 2

Materiais: Vinagre; tigela e ovo cru.



1. Enche uma tigela com vinagre e coloca um ovo cru dentro, durante 24horas.


O que observamos?


A casca do ovo ficou transformada numa película semelhante a borracha. O ovo era duro e ficou mole e o tamanho duplicou.




 
Jardim de Infância Sobral - Cervães

Efeitos da lupa sobre as partes do corpo. Ficha 1

 Materiais: lupa.
1.     Coloco a lupa junto da parte do corpo.
O que observamos? 
A lupa amplia os objectos focados.





 Jardim de Infância de Sobral - Cervães


terça-feira, 17 de maio de 2011

Visita dos Alunos dos Jardins de Infância do Agrupamento ao laboratório da EB23 de Prado

No dia 10 de Maio todos os alunos dos Jardins de Infância deste Agrupamento de Escolas tiveram o privilégio de visitar o laboratório da EB23 de Prado. No âmbito desta visita o Departamento de Matemática e Ciências Exactas, em colaboração com alunas do 9ºano, proporcionou experiências muito interessantes aos alunos. A Coordenadora da Biblioteca também acolheu estes pequenos alunos com a apresentação do Blogue que está a ser dinamizado pelo Departamento da Educação pré-escolar “À volta com as experiências”.









O Departamento de Educação Pré Escolar


BOLAS DE SABÃO

Material:

• Tina com água,
• Detergente da louça,
• Glicerina,
• Palhinhas,
• Bacias,
• Argola de arame revestida a lã.

Procedimento:

Dissolvemos detergente da louça em água (tina e bacias). De seguida cortaram-se as palhinhas em quatro pontas dobrando-se ligeiramente para fora.

Mergulhámos as palhinhas no líquido e soprámos. À medida que íamos soprando o tamanho das bolas de sabão ia aumentando.

Tirávamos bocadinhos de espuma na ponta da palhinha e conseguimos soprar lindas bolas coloridas que rapidamente se desfaziam.





- Porquê que as bolas de sabão crescem?
As bolas crescem porque ao soprar é-lhes introduzido oxigénio.

De seguida acrescentámos um pouco de glicerina na mistura de água e detergente numa bacia e com a argola de arame e as palhinhas fizemos bolas que duraram muito mais.




- Porquê que as bolas de sabão não se desfazem tão depressa?

Porque a glicerina é espessa e pegajosa ajudando-as a conservar mais tempo.

Jardim de Infância de Oleiros


domingo, 8 de maio de 2011

Experiência sobre densidade – “Fogo de Artifício”

Definição de densidade:

A densidade define-se pela relação que existe entre a massa de um corpo e o volume que este ocupa, isto é, se a massa de um corpo for maior relativamente ao volume que ocupa, dizemos que é denso, mas quando um corpo é menos denso, é porque tem uma menor massa relativamente ao volume.

Nota: A concentração é um dos factores que contribui para determinar a densidade de um corpo.

Descrição da experiência - “Fogo de Artifício”


Ingredientes:

Água

Corantes alimentares de várias cores

Óleo alimentar


Material:

1 Copo

1 Garfo / Vareta

1 Recipiente / Frasco alto transparente


Procedimento:

• Encher o frasco/recipiente quase até ao topo com água à temperatura ambiente;

• Colocar um pouco de óleo no copo;

• Colocar uma / duas gotas de cada um dos corantes no copo com óleo;

• Com a ajuda do garfo/ vareta, agitar o óleo com as gotas de corante alimentar para as fragmentar em gotas mais pequenas;

• Despejar o conteúdo do copo com óleo no recipiente/frasco que contem água. Aguardar…






Conclusão:

O corante alimentar dissolve-se na água mas não no óleo.

Quando utilizamos o garfo, dividimos as gotas de corante em gotas mais pequenas.

Como o óleo é menos denso que a água, fica no topo do frasco e não se mistura com a água.

As gotas de corante vão-se afundando no óleo e quando entram em contacto com a água, dispersam e deixam um rasto de cor à medida que se afundam.

Isto acontece porque o corante é mais espesso que a água.





Experiência realizada com as crianças da sala 3 do Jardim de Infância do Centro Escolar de Cabanelas, no dia 4 de Abril de 2011

Agrupamento de Escolas de Prado

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Fabricar e lançar pára-quedas

Recortámos rectângulos de vários tamanhos e colocamos cordas nas extremidades, com a ajuda de furos, em forma de X.

O clipe foi colocado no ponto central do X, onde as cordas se encontram.


Quais são os pára-quedas que demoram mais tempo a chegar ao chão? Os grandes ou os pequenos?

Conclusão:

O pára-quedas cai tanto mais devagar quanto maior é a sua superfície.

Quando a resistência do ar é maior o pára-quedas cai mais devagar.




Jardim de Infância de SOBRAL





Cristalização do sal

Cristalização do sal

Colocámos água com sal nos recipientes e esperamos durante vários dias.


A experiência teve duração de 30 dias pois só com o aparecimento do sol é que se verificou a evaporação da água e formação do sal.



Conclusão:

O sal só é formado com ajuda do sol.

Quanto maior for a exposição solar mais rapidamente este se cristaliza.




Jardim de Infância de SOBRAL

Um balão que se enche sozinho

Um balão que se enche sozinho

Materiais:

• Bicarbonato
• Garrafa transparente
• Balão
• Toalhete de papel
• Vinagre

Encher a garrafa até meio com vinagre, colocar uma colher de bicarbonato de sódio num toalhete depois de enrolado, introduzi-lo na garrafa e tapar rapidamente com o balão vazio.
À medida que o toalhete se molha começam a ver-se bolhas e o balão começa a encher…

Conclusão:
O vinagre em reacção com o bicarbonato dá origem a um gás que enche os balões.



Jardim de Infância de SOBRAL

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Uma experiência em articulação - JI e 1º ano do 1º ciclo da EB1/JI - Bom Sucesso - Estados físicos da matéria

Material

1 Bacia

Água

1 Embalagem de gelatina de morango

1 Embalagem de gelatina de pêssego

1 Colher de pau

1 Panela

Fogão

Frigorifico

Vários boiões

Papeis

Laços



Como fizemos

Colocámos água a aquecer numa panela no fogão

Deitámos a água quente na bacia

Juntámos os pacotes de gelatina de morango/pêssego e mexemos com a colher de pau.

A gelatina dissolveu-se na água – A gelatina estava no estado líquido



Deitámos alguma dessa gelatina numa panela, colocámos em cima do fogão. A gelatina começou a ferver, a sair um fuminho branco húmido a fazer bolhinhas - A gelatina estava no estado gasoso

Colocamos a restante gelatina que estava na bacia em estado líquido e colocamos em boiões de vidro. Colocamos estes boiões cheios, no congelador, no frigorífico. No dia seguinte fomos buscar os boiões e A gelatina estava no estado sólido, consistente, pronta para a saborearmos.



O que concluímos e aprendemos

A gelatina mudou de estado físico, consoante a temperatura

Numa temperatura ambiente está no Estado líquido

Numa temperatura muito alta fica no Estado gasoso

Numa temperatura muito baixa fica no Estado Sólido





PS- Gostámos muito de fazer esta experiência com os nossos amiguinhos do 1º ano, foi muito divertida e colorida. Aprendemos coisas e juntos e no fim saboreamos uma gostosa gelatina.

Esta nossa experiência juntos foi mesmo interessante!


quinta-feira, 14 de abril de 2011

“ Ovos coloridos”

Experiência “ Ovos coloridos”


Quisemos experimentar uma nova maneira de colorir os nossos ovos de Páscoa.

Material utilizado:

Ovos;

Lírios, flor de mato e folhas de salsa, cascas de cebola;

Meias de vidro;

Panela, água e fogão.





Como fizemos:

Colocamos folhas de salsa nos ovos de forma a ficarem aderentes, pusemos dentro de uma meia e cozemos em água com flores de lírios, flores de mato e cascas de cebola.







O que observamos:

Os ovos ficaram com a tonalidade das flores utilizadas e marcados com a forma das folhas.






Jardim de Infância de Oleiros (sala 1 e 2 )